Tecnologias imersivas nos eventos: 60% das pessoas querem participar, não apenas observar

12 de fevereiro 2020

Tecnologias imersivas nos eventos: 60% das pessoas querem participar, não apenas observar

A tecnologia está a introduzir uma nova e emocionante forma para as marcas se conectarem com o público – estudos recentes demonstram que o experiencialismo é o caminho para o coração dos consumidores. Mais de metade (60%) dos europeus deseja participar fisicamente nos eventos, sendo que 6 em cada 10 portugueses não querem ficar apenas a assistir.

O estudo Europeu levado a cabo pela empresa global de tecnologia Epson, intitulado “O futuro experiencial”, destacou as atitudes dos consumidores face à participação em eventos e outro tipo de atrações. O estudo procurou obter opiniões sobre o uso das tecnologias imersivas em eventos, incluindo projeções em grande escala, vídeo mapping, displays interativos, hologramas, e realidade aumentada.

Os Millennials são a geração demográfica mais atraída por este tipo de evento. Dois terços (60%) dos inquiridos desta faixa etária participaram ou assistiram a um evento experiencial nos últimos 12 meses, enquanto mais de metade (55%) dos Millennials acredita que a tecnologia imersiva não é ainda utilizada o suficiente em eventos. 25% da Geração Z e 23% dos Millennials já participaram num evento experiencial fora do seu país de origem, sendo que a Geração X representou 14% e os Baby Boomers, 32%. Isto mostra que as empresas que adotarem estes elementos podem facilmente obter vantagens. Mais de dois terços (66%) dos Millennials também concordam que preferem eventos ou atrações que incluam um elemento experiencial, seguidos de 59% da Geração X, de 50% da Geração Z e de 53% dos Baby Boomers.

Uma experiência que provoque emoções e crie uma forte conexão com o visitante não é apenas crucial para as áreas de turismo e marcas, com objetivo de atrair novos consumidores: é também essencial para atrair novamente os visitantes. Mais de dois terços (64%) dos Millennials revisitaram um evento experiencial, assim como mais de dois terços da Geração X (65%) e mais de metade da Geração Z (56%) e Baby Boomers (59%) – demonstrando que as tecnologias experienciais ajudam a fazer com que os consumidores repitam as experiências.

“As novas tecnologias estão a mudar drasticamente a natureza das atrações e dos eventos. Estes números e estudo demonstram que as empresas devem aproveitar o poder dos elementos experienciais, não apenas para aumentar as visitas, mas para incentivar a repetição do negócio. Os Millennials, os Baby Boomers e a Geração Z procuram eventos e atrações imersivas. Agora, cabe às organizações cumprir com essas expectativas", comenta Neil Colquhoun, vice-presidente da CISMEA e Professional Displays, Epson Europe B.V.

Para mais informações, pode descarregar o relatório "O futuro experiencial", aqui.

Metodologia do estudo

A Arlington Research realizou um estudo de mercado em 26 países, com uma base total de 9.750 adultos entre os 16 e os 65 anos de idade que participaram num evento ou atração nos últimos 12 meses, a partir de uma lista suspensa. Os países participantes ​​incluem: Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha, Portugal, República da Irlanda, Holanda, Bélgica, Turquia, Grécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia, Suécia, República Checa, Eslováquia, Estônia, Polônia, Eslovênia, Bósnia e Herzegovina, Croácia, Montenegro, Israel, Emirados Árabes Unidos e Marrocos. A pesquisa é nacionalmente representativa por adultos com idades entre os 16 e os 65 anos em cada país inquirido. As faixas etárias são definidas da seguinte forma: Geração Z (nascida entre 1994-2003), Millennials (nascida entre 1980-1993), Geração X (nascida entre 1965-1979) e Baby Boomers (nascida entre 1946-1964).